sábado, 29 de novembro de 2008

Ainda os tecidos...

Pensaram que eu ia deixar de falar deles? Que nada... Tecidinhos são apaixonantes... Todos eles, embora alguns sejam mais que os outros para algumas pessoas. Minha amiga Lídia gosta dos verdes, a Miyoco gosta dos alaranjados, a Hissami gosta dos lilases e violetas e a Beth... bem a Beth gosta de gatos, mesmo nos panos (ela até diz que não sabe se ela faz patchwork ou se faz coleção de paninhos de gatos...). Assim como os meus, os dela sempre estão adornados de alguns pelos felinos. Eu amo os xadrezes. As fases? Sim, as fases... passei por várias, mas sempre tenho recaídas aos xadrezes, pois amo o estilo country. Xadrezes, tostados e aqueles tons mais fechados, mais envelhecidos... Amo todos eles. Mas... xadrez é fogo (?). Já ouvi algumas pessoas dizerem que não usam xadrez, só porque os consideram impossíveis de que fiquem alinhados às costuras. Eu penso justamente ao contrário. Só não os recomendo às alunas que estão iniciando, para que se possam se preocupar apenas com o aprendizado das técnicas, mas costurar tecido xadrez ou listrado é muito gostoso. O primeiro passo é cortá-los com a tesoura, seguindo algum dos risquinhos do desenho. Depois, ao costurar, eu coloco o tecido xadrez sempre no lado de cima, pois assim posso ver onde estou costurando. Baixo a agulha da máquina e presto atenção onde ela "caiu". Daí é só seguir costurando exatamente no mesmo lugar, olhando onde a agulha vai e não na lateral do pézinho, que normalmente é a nossa guia. Mas atenção. Tecido xadrez tem que ser aquele de fio tinto e não o estampado. É fácil saber a diferença. Os tecidos estampados têem avesso e os de fio tinto não, pois, como o nome já diz, primeiro os fios são tingidos e depois o tecido é tramado, de forma que se você "tirar" um fio, ele será da mesma cor do início ao fim e isso facilita o corte e a costura. No tecido estampado o desenho não segue o fio, de forma que ao cortar o tecido, o desenho sempre parecerá torto. E nós temos que cortar sempre seguindo o fio. E já que colecionamos tecidos, que tal lembrar de alguns cuidados no tratamento, conservação e armazenamento? Sabem que devemos pré lavar todos os tecidos assim que os compramos não? Bem... lavar não é bem o termo, visto que é só molhar, deixando alguns minutos para que fiquem bem enxarcados e depois colocar em um varal, dobrados, se forem muito grandes e pouco antes que sequem totalmente, passar a ferro. Isso faz com que eles encolham o que tiverem que encolher e que soltem algum excesso de tinta. Se algum ficar "sangrando" mesmo depois de algumas enxaguadas ou de colocarmos sal (que é um fixador natural), sera melhor descartá-lo, para que não venhamos a colocar algum trabalho a perder. Para guardá-los, evite colocar em armários que recebam luz solar diretamente, pois isso faria com que desbotassem nas dobras. Também é bom que o local não seja úmido e que não fique totalmente fechado, para que não transpirem e não se manchem. Tecidos brancos podem ser guardados envoltos em papel de seda azul, pois isso faz com que não fique amarelado. Colocar anti-traças também é uma boa idéia. Outra boa idéia é colocar algum cheirinho entre eles, assim toda vez que precisar mexer neles, além da visão e do tato, também será uma festa para o olfato. Mas cuidado... Coloque as essências bem no centro dos sachês, em pequenos chumaços de algodão envolts em algum retalhinhos, que por sua vez será envolto em plumante. Ou use sprays apropriados para esse fim, cuja formulação é desenvolvida para não manchar os tecidos. E... Onde guardá-los? Isso já rendeu pano pra manga lá no Patchepinte. Eu prefiro as gavetas, pois posso vê-los todos e escolher com mais facilidade. Também acho mais fácil arrumá-los, pois é só colocar a mão entre dois deles, afastá-los um pouquinho e colocar outro nesse espaço. Se não tem como ter gavetas, uma boa idéia é comprar cestas de vime, daquelas tipo bandejas. Dá pra arrumar como em uma gaveta e colocar de duas em duas (uma sobre a outra) em armários. Também já armazenei em caixas de Tuperware transparentes. Fica fácil pra ver através das paredes das caixas, fácil de empilhar e fácil de transportar. Retalhinhos menores podem ser guardados em caixas pequenas de papelão da mesma forma quos grandes nas gavetas. Ou em Tuperwares baixas. Em todos os casos, separá-los por cor é muito recomentado, pois facilita muito a procura. Bem... Já é tarde e se eu poderia ficar aqui falando, falando... esse assunto ainda tem muitas páginas. A bolsa acima foi feita pela Miyoco, que ama os tecidos laranja e também ama bordar. E a foto ao lado é do panô Country, onde usei tecidos que mostram bem as cores que gosto. Beijocas Eliana

4 comentários:

LiSi Patch disse...

Essa bolsa é campeã! Parabéns à Miyoko pela escolha das cores/tecidos e pelo bordado caprichado.
Quanto a nossa preferência por uma determinada cor... será q isso tem cura? rsrs

bjs,
Lidia

Ana Sheila Rocha disse...

Tia Lili,
adorei o seu blog, e temos um amor em comum que é o bordado,encontrei coisas lindíssimas que estão me inspirando para fazer
Parabéns e espero encontrar mais coisas bonitas por aqui
Bjs Ana Sheila

Marisa disse...

Oi Eliana !
Esse panô Country...meu Deus o que é isto? simplesmente perfeito! a delicadeza, harmonia das cores, adorei, parabens pelo trabalho. Um dia ainda chego lá. Um beijo
Marisa

disse...

Tia Lili,muito legal o seu blog.
Tudo de muito bom gosto.
Parabéns!!
Bjss
Helena Miyamoto