quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Patchcolagem???

Quando ouvi esse termo pela primeira vez achei que fosse uma técnica nova, algo como colar quadradinhos de tecido em caixas ou albuns, sei lá... Mas não, não é. Acreditam que alguém (sabe-se lá quem), resolveu chamar a nossa querida "Aplicação" (também conhecida internacionalmente como "Apliqué") por esse nome horroroso? Patchcolagem? Que absurdo!!!
Dar um nome a uma técnica em português até que seria aceitável se essa técnica já não tivesse nome.
Aplicação é aplicação desde muuuuito tempo atrás, muito antes até da publicação da nossa querida "Mãos de Ouro", de onde tirei meus primeiros ensinamentos sobre o tema. Colecionava os fascículos que meu pai trazia (ele trabalhava na Editora Abril) e ainda os tenho comigo, encadernados em azul royal e dourado, preciosa, que só, por fora e mais ainda por dentro.
E não deixa de ser aplicação só por usar termocolante, viu? Patchcolagem (ugh!!) não existe e eu me recuso a ouvir ou ler isso seja lá onde for.
Aplicação, apliqué... Aplicar tecido sobre tecido é uma deliciosa viagem, quer seja na criação, pois podemos representar tudo que pensarmos, ou na execução, pois realmente podemos viajar em pensamento. Eu sempre digo que é a melhor maneira de meditar, pensar na vida, refletir sobre tudo, enfim, estar a sós conosco mesmo.
Eu amo aplicação em qualquer que seja a técnica, mas reconheço que prefiro a que aqui foi apropriadamente denominada de Vira da Agulha (Needle Turn) ou uma outra ainda sem nome em português "Invisible Apliqué" (Aplicação Invisível (?), mas que não é feita com pontos do mesmo nome, mas sim em uma técnica diferente, com pontos realmente invisíveis).
Certa vez enviei algumas fotos de uma exposição feita em uma das nossas feiras para um grupo americano do qual participo e elas elogiaram muito os trabalhos, notando que nós aqui gostamos muito de aplicações. Também percebo nas conversas com nossas amigas e clientes que isso é bem verdade mesmo. Nós gostamos demais de cortar e costurar (piecing), mas a preferência nacional são realmente as aplicações.
Bem... Nosso Mystery Quilt já está em andamento, mas aceitaremos adesões em qualquer tempo. Podem continuar a enviar e-mails para: elianazerbinatti@gmail.com que teremos imenso prazer em enviar os arquivos.
Nessa sexta-feira, dia 30 de janeiro, estarei novamente no Ateliê na TV, rede Vida, às 20:00h. Como sempre, o tempo é muito curto, mas deu pra mostrar um pouquinho da montagem de um bloco.
As fotos são de trabalhos com aplicações feitas nas técnicas que mais gosto. E... querem uma dica? Pra fazer esses pontinhos de alinhavo da primeira foto não é necessário riscar, até porque não conseguimos nunca seguir o risco, já que os pontinhos sempre ficam diferente. Eu costumo passar a ferro dobrando e fazendo um vinco no tecido, onde quero que o bordado fique, e depois bordo exatamente sobre a linha vincada. Isso faz com que os pontinhos fiquem mais naturais e simétricos.
Beijocas
Eliana

9 comentários:

Vanda disse...

Adorei as explicações, as imagens e as dicas. Tudo muito bacana.
Concordo com você sobre a nomenclatura.. é aplicação... e pronto!!!
Amo fazer este tipo de bordado e estou tentando aperfeiçoar a técnica a cada dia.
E estarei firme nos novos projetos.
Beijo grande e sucesso!!
Vanda Luci
BH/MG

Daisy Carpi disse...

Adoro passar pelo seu blog,tudo explicadinho,bjs

eloisa disse...

isso aí, aplicação é aplicação, ponto. não vi vc na gazeta, não pega gazeta na sky, mas hoje à noite mato a vontade e vou te ver na rede vida...

Luciane - Brasília disse...

horrível chamar de patchcolagem, acho que desmerece o trabalho que é tão rico e lindo. Estava ótima sua apresentação no programa Atelie na TV. Um beijão.

Anônimo disse...

Oi... :) Bom saber que nao sou unica que se incomoda com esse termo :( Aplicar com papel termocolante é só uma das formas de aplicação. Não vi seu prog na tv...mas ja desejo muito sucesso. Célia

sonia disse...

Eu também não gosto desse nome patchcolagem, quem bom saber que outras pessoas pensam a mesma coisa.
Gosto muito do blog
bjs

Geisa do Carmo disse...

Querida, eu não me perdoo, pedi vc.
Numca aconteceu isso antes.
Droga!!!
Amiga te vejo no BPShow???
Bjs
Lindo blog.
Ge

Babete disse...

Olá,
Adoro seu blog!
Engraçado como eu tinha certa antipatia pelo termo patchcolagem e agora que li sua postagem, com a qual concordo plenamente,só vou usar aplicação ou apliqué.Uma pena, mas nunca consigo ver o programa.Beijos.

Carla Peixoto disse...

Tia Lílí,
Hoje, e só hoje, pude entrar no seu blog novo.
Amei!!!!!
Tudo deliciosamente lindo e como sempre, muito explicadinho.
Parabéns!!
Não poderia deixar de comentar o texto em que vc fala da "Mãos de Ouro". Lembrei da minha infância, da minha vóvó Luiza e de como eu gostava de ver cada fascículo da coleção.Estou correndo no quarto dos fundos para buscar nos meus guardados a minha "herança" e matar saudades. Anos depois da morte da minha avó, eu e minha filha herdamos a coleção, devidamente encadernada com aquele azulão e muitíssimo bem conservada.
Bom demais!!!
Beijos amigos prá vc.
Carla Peixoto
BH-MG